Quinta-feira, 26 de Outubro de 2006

Meu ANJO

Ao longo da vida aprendemos imensas coisas: boas, más, divertidas, complicadas...enfim! Coisas.

Também aprendemos a amar, a odiar, a gostar por interesse ou incondicionalmente...

Aprendemos a duvidar e a confiar.

A certa altura da minha vida pensei que nunca mais iria amar, o ódio apoderara-se do meu coração e teimava em ficar.

Lancei-me numa guerra sem tréguas contra o tempo, queria apagar da minha memória tudo o que me feria, todo o mal que me tinha causado tanta dor.

Isolei-me. Ergui uma muralha à minha volta e no meu mundo só entrava quem eu queria (e eu queria pouco).

Trabalhava dia e noite, para pagar contas, a escola da miúda, o carro, a comida, a roupa...

E foi assim durante algum tempo!

Até que um dia um anjo me visitou. Não tinha asas, mas tinha um coração imenso e uma voz de sonho.

E esse anjo fez-me perceber que não devemos viver presos no passado, porque alguém, no presente, precisa de nós.

"Devemos viver hoje, com os ensinamentos de ontem...e o amanhã será um reflexo disso, mas nada mais do que um reflexo..."- disse-me.

Apaixonei-me pelo anjo, pelas coisas lindas que me dizia, por gestos amorosos que tinha, pela sua alma e pelo seu coração.

A vida é curiosa, não é?

A rotina é traiçoeira, faz-nos esquecer muitas vezes que aquela pessoa que está ao nosso lado merece bem mais do que aquilo que recebe de nós.

Mas andamos demasiado ocupados com os nossos problemas, com os nossos fantasmas, demasiado ocupados para oferecer um carinho, um simples beijo ou uma simples palavra de afecto...

E pelo caminho alguma coisa vai morrendo, a monotonia do dia a dia apodera-se aos poucos do romance, da magia inicial da relação...e surgem as discussões, umas atrás das outras, muitas vezes desnecessárias e sem qualquer fundamento.

E estou aqui, meu anjo, para te dizer que apesar da rotina, da monotonia do dia a dia, dos problemas, dos fantasmas, das discussões, continuo a amar-te como da primeira vez.

As coisas nem sempre são como sonhamos, e a nossa vida tem sido complicada...

Não duvides de mim nem dos meus sentimentos, peço-te.

És o meu porto de abrigo, aquele que um dia me acolheu no meio de uma grande tempestade.

És o marido mais querido, mais amigo e mais leal que alguma mulher pode ter.

E eu amo-te muito, para sempre.

 

 

 

sinto-me:
tags:

publicado por picarota310172 às 15:45
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Denise a 29 de Outubro de 2006 às 16:18
Continuo a dizer que devias escrever um livro!=D

Amo-te minha mae!


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 17 seguidores

.tags

. todas as tags

.Janeiro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.arquivos

. Janeiro 2008

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006