Quinta-feira, 30 de Novembro de 2006

Que raio de vida!

Sou por natureza uma pessoa bastante destemida em relação à vida...

E sou forte de espírito! Capaz de aguentar grandes balanços e de me manter sempre de pé!

Mas por vezes quebro e fico diminuída, amedrontada...

Hoje foi um desses dias.

Estava eu pacientemente a aguardar a minha vez para uma consulta médica, e pus-me a observar o que estava à minha volta.

Pessoas, muitas pessoas. Pessoas jovens, pessoas de meia idade e pessoas velhas; velhas e doentes.

Chamou-me à atenção em particular uma velhinha que lá chegou, sozinha, apoiada em duas bengalas, mal podendo levantar os pés...arrastava-se!!

Levantei-me para lhe dar o meu lugar e ela lá se sentou, muito a custo.

Reparei que tinha as pernas de um tom arroxeado, doentio...e a cabeça tremia mesmo com o resto do corpo imóvel.

Senti um arrepio percorrer-me o corpo todo e pensei no quão injusta é a vida!

Aquela mulher, que provavelmente será a esposa, a mãe, a irmã, a tia, a avó de alguém, estava ali SOZINHA!!!

Trazia na mão uma pequena bolsa (um porta documentos) que mal conseguia carregar para se poder apoiar nas ditas bengalas.

Foi chamada para o consultório e saíu com uma data de papéis no pouco espaço livre de mãos que tinha.

A funcionária lá lhe carimbou as receitas e deu-lhe uma requisição para um hemograma para ela ir entregar no laboratório, que é no outro extremo do hospital!!

Aproximei-me da velhinha e perguntei-lhe se ela queria que fosse eu ao laboratório por ela.

Ela respondeu que sim e ficou muito agradecida.

Fui, fiz a marcação das análises e voltei para lhe entregar a requisição.

Mais uma vez a velha senhora se desfez em agradecimentos e lá se foi embora.

Fiquei ali a vê-la afastar-se...e juro que senti medo!

Medo da velhice, medo da dependência de um benfeitor, medo da incapacidade...

Bolas, tive vontade de chorar!!

Não tenho medo de morrer, não é a morte que me assusta...é a velhice, a doença, as duas coisas juntas ou até mesmo cada uma por si só.

Felizes daqueles que têm quem os ame, quem os cuide, quem os acarinhe...

Aquela velhinha por certo não tinha...

E doeu-me...

Por ela e por todos os que chegam àquela situação.

Que raio de vida!!

sinto-me:
tags: ,

publicado por picarota310172 às 15:43
link do post | comentar | favorito
6 comentários:
De Anónimo a 30 de Novembro de 2006 às 16:44

mais uma vez...o tamanho desse coração(zão)...

você é de ouro...caramba!

Não tema por si e pelo futuro, porque saberá ensinar, educar, acompanhar e AMAR, quem lhe garantirá essa troca...(seus filhos, irmãos, sobrinhos ou atá amigos e vizinhos...)

Não tema porque, só recebe amor, quem antes o deu!

bj

o Trin


De picarota310172 a 30 de Novembro de 2006 às 17:06
Olá Trin,
que bonito comentário o teu.
Obrigado mais uma vez pelas tuas gentis palavras.
E obrigado tb por me visitares!
Aparece sempre que queiras.
Jokas
Picarota


De Flor-de-Açúcar a 1 de Dezembro de 2006 às 15:12
Minha boa amiga
O medo de envelhecer, adoecer, padecer... são medos normais de pessoa inteligente e tu és inteligente, logo: estão legitimados os teus medos mas lembra-te que quem dá com uma mão hoje, amanhã recebe com as duas. Vive em Paz amiga que tu és Boa.
Beijinho,
Flor-de-Açúcar


De Chicailheu a 1 de Dezembro de 2006 às 17:19
Amiga
Ao ler este seu texto, revi-me em si.
Eu ambém sou muito sensível a este tipo de situação!
Não tenho medo da morte, tenho medo do sofrimento e da solidão!
Sou a favor da Eutanásia( para mim), pois sei de casos, que me aterrorizam s´de pensar que posso vir a passar por tais situações.
Eu escrevo muito, atrevo-me a escrver poesia. se gostar de ler algumas, vá ao meu blog, clique na Tag Poesia, e vá aos poucos me conhecendo através do que escrevo, pois a minha poesia brota do meu coração, faz parte integrante de mim, SOU EU!
Beijos no seu coração.
Mulher fote como um cabeço, mulher do PICO!
Chicailheu


De Feiticeira a 1 de Dezembro de 2006 às 22:18
Cara amiga,esses medos sao normais em pessoas com sentimentos lindos como os seus.Eu tb penso assim;nao tenho medo de morrer,tenho sim medo da velhice,as rugas...essas por vezes ate sao belas,tenho medo de na poder fazer o k hoje faço,e pelo meu filho!
Hoje com 44 anos, ja tenho uns anitos,peço um de cada vez e pode ser k assim me consedam mais alguns.E qdo chegar a minha vez podem crer k vou sobre protesto...Continue assim tao pur e bela.
Quem da recebe sempre.Um beijo.


De picarota310172 a 1 de Dezembro de 2006 às 23:57
É minha amiga Feiticeira,
contrariados vamos todos nós!
Obrigado por me visitar e pelas suas belas palavras.
Beijinhos
Picarota


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 17 seguidores

.tags

. todas as tags

.Janeiro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.arquivos

. Janeiro 2008

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006